A locutora de rádio e apresentadora de televisão Catarina Palma é a segunda convidada da rubrica de entrevistas da Type, "Mulheres que nos inspiram".

Todos os meses vamos conversar com mulheres portuguesas com as quais nos identificamos e que refletem o ADN da Type:

 

1. És locutora na rádio e repórter na televisão. Qual deles é a tua praia? Não sinto que nenhum deles seja a minha praia sinceramente porque quando eu tenho de fazer coisas diferentes eu sinto sempre alguma insegurança, do género "será que estou a altura?". Ou seja, não me sinto 100% à vontade com nenhum deles mas isso é bom porque não me deixa completamente descontraída dando-me espaço para evoluir sempre mais.

 

2. Catarina, tens algum segredo para deixar um entrevistado na Palma da tua mão?

Não sei se é bem um segredo. Quer dizer, não é um segredo. Para além de saber do que estou a falar, com quem estou a falar e para quem estou a falar, acho que a maneira mais fácil de desarmar qualquer pessoa no mundo é a naturalidade e a simpatia. Citando Selena Gomez “kill them with kindness”. Gosto deste mote, deixa-me confortável. 

 

3. Já entrevistaste alguém com quem fizesses faísca? 

Muitas pessoas. A comunicação resulta quando são duas pessoas a fazê-la. Se a pessoa com quem estou a falar não faz faísca comigo então vai ser um diálogo pouco fluido e sem conteúdo interessante. 

4. Que música achas que deveria ser um mega hit eterno?

Agora assim? De repente? Ok. Para mim a música que vai ser sempre um hit eterno é o Corazón Partío do Alejandro Sanz. Até podia ser a única pessoa a gostar desta, mas não importa. Cada vez que a oiço sem querer, o meu coração fica quentinho e a dançar salsa. 

 

 

 

 

 

5. Qual foi a pior gafe que fizeste em direto?

Foi no Dia Mundial da Rádio, estavam 15 pessoas dentro do estúdio incluindo o meu diretor. Eu estava no microfone dois ou seja, como não era eu a tomar conta da emissão, estava completamente relaxada. Estava a jogar o jogo dos cinco segundos com o convidado Ivo Lucas e as perguntas para ele estavam a ser básicas e a mim calhou-me a pergunta: nomeia três Presidentes da República em cinco segundos. Não é que eu não soubesse a resposta mas bloqueei e saiu-me um grande e muito alto palavrão.

6. A Type e a rádio têm um amor em comum: festivais de verão. Partilhas deste romance? Vais há quantos anos seguidos e a quantos festivais por ano?

Eu antes de entrar na MegaHits só tinha ido a um festival. Ou seja, ia todos os anos ao mesmo festival. Só depois de entrar na Rádio é que comecei a aproveitar todos os Festivais de Verão. Este ano fui a sete pela Mega e a mais oito fora do contexto da Rádio.

7. Praia com amigos, em casal ou com a Japa? 

Praia com Japa, com amigos e em casal. Gosto de praias vazias mas cheia das minhas pessoas. 

8. Viagem de sonho. O mundo inteiro. Agora Sri Lanka (vou já este sábado), daqui a três semanas falamos e terei outra.

9. Uma praia que seja especial para ti e porquê.

A praia que eu mais gosto é a praia da Adiça. Um bocadinho depois da fonte da telha, portanto perto de Lisboa, mas longe o suficiente para ter muito pouca gente (e claro, se a minha cadela pode ir então está dez mil pontos à frente na tabela de qualquer praia) 

 

 

10. Qual o teu bikini preferido da Type? Porquê?

Luz V1 - gosto de biquínis pequenos porque muito tecido faz me confusão. E este é tão lindo, diferente, tem uma cor tão fixe e fica tão bem no corpo. 

 

11. Há momentos em que gostas de te desligar das redes sociais, ou devido à tua profissão sentes que tens de estar sempre “on”?

Eu sou de fases. Há momentos em que sou completamente aditiva ao telemóvel, ao instagram, à internet e aos blablablás digitais. Há outros em que não estou nem aí e abandono o telemóvel num canto da casa. Claro que para a minha profissão é necessário estar atenta ao que se passa no “mundo lá fora”, mas não o sinto como uma prisão. É mais uma espécie de estudo. 

 

12. Alguma coisa que pouca gente saiba sobre ti.

Eu não sou uma pessoa que guarde muitos

segredos mas ok, nasci com seis dedos no

pé direito.

 

Isto não é uma pergunta. Queríamos só agradecer pelos Amigos da Japa e pelo constante apelo às alterações climáticas. Identificamo-nos com quem quer mudar o mundo para melhor. Obrigado!

 

Com o verão e as férias a chegar ao fim, despedimo-nos dos dias longos e das noites quentes e inevitavelmente começamos a notar a perda do bronzeado, onde investimos horas e horas. Mas nem tudo são despedidas. É possível guardar um bocadinho do verão na sua pele. Veja como:

 

1. Duches frios

Os banhos quentes podem desidratar a sua pele, o que resulta, muitas vezes, na descamacão e na perda de cor da pele. Opte por duches de água fria, seguidos de um óleo hidratante e mantenha o seu bronzeado por muito mais tempo;

 

 

2. Hidratar e exfoliar

Todas as horas passadas ao sol, sal e cloro são muito agressivas para a pele. É nesta altura do ano que precisa de um cuidado redobrado. A hidratação tem então um papel fundamental para ajudar a conservar o bronzeado. Aplique diariamente produtos hidratantes em todas as partes do corpo, de modo a evitar a descamacão e a perda de cor;

Exfoliar a pele, sim

Pode-lhe parecer a última ideia possível para conservar um bronzeado, mas a verdade é que, nas últimas semanas do verão, o esfoliante ajuda na absorção dos cremes hidratantes e renova a pele, removendo a pele morta;

 

3. Mudar um pouco a dieta alimentar

Uma dieta rica em Vitamina C e carotenos (moléculas que tingem a pele) ajudam a conseguir um tom de pele mais escuro e uniforme. Pode encontrar estes pigmentos em algumas verduras como é o caso do tomate, do pepino, da cenoura e do espinafre e de algumas frutas como as alperces e mangas. Da próxima vez que for apanhar sol, experimente beber este sumo:

* 2 cenouras

* 1/2 manga

* 2 laranjas (sem cascas)

 

Coloque os frutos num centrifugador ou liquidificador e misture tudo.

 

 

4. Usar a cor branca

Este é um truque testado e aprovado. Usar roupas brancas para dar a ilusão de pele mais escura. É um truque fácil e infalível;

 

 

5. Beber água

Para além de hidratar o seu corpo por fora, hidrate-o por dentro. Bebendo água e mantendo-se hidratada ajuda a prolongar a vida de todas as suas células, mantendo a elasticidade da epiderme e evitando o aparecimento de rugas na cara e estrias no corpo. É sempre importante beber água, mas no verão é essencial! São aconselhados 8 copos de água por dia, no mínimo.

 

 

6. Dizer adeus ao gel de banho

Não se preocupe, o gel de banho não elimina o bronze. No entanto, é mais aconselhado um óleo de banho que, para além de limpar, também hidrata.

 

 

7. Óleo bronzeador caseiro

Para prolongar o bronzeado em casa, experimente esta receita caseira:

* 500 ml de água;

* 5 saquetas de chá preto.

 

* Numa panela pequena, ferva os 500 ml de água e adiciona as 5 saquetas de chá;

* Deixe o líquido descansar por 10 ou 15 minutos;

* Tire as saquetas e coloque o líquido num pulverizador para poder aplicá-lo posteriormente por todo o corpo de maneira uniforme.

Slow Fashion é um movimento que prioriza a qualidade, o ambiente e os processos de produção dos produtos comercializados.

O preço é um fator de decisão relevante para grande parte dos consumidores que incentiva a fast fashion. Mas já pensou quanto dinheiro gasta em todos os produtos descartáveis que compra, quando existem alternativas que, apesar de exigirem um investimento maior, duram 10 vezes mais tempo?

 

Desafiamo-vos a refletir connosco sobre algumas dicas para um consumo consciente:

 

Qualidade em vez de quantidade:

Não adianta comprar peças de roupa apenas pelo luxo de as ter e acabar com quantidades infinitas de roupa esquecidas ao longo do ano.

Tente comprar peças com qualidade que sabe que vai e pode usar MUITO.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compra consciente:

Preciso mesmo disto? Combina com o que já tenho no armário e com o meu estilo de vida? Em que situações é que vou utilizar esta peça?

Pense na história da sua roupa e em todo processo até chegar às suas mãos, olhe para as etiquetas pergunte e pesquise.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sustentabilidade:

Opte por pelas peças de roupa feitas com fibras naturais ou com materiais reciclados e tecidos alternativos, pois são os mais sustentáveis.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dê valor às marcas nacionais:

A slow fashion apela à produção manual, em que são produzidas peças de forma artesanal e sustentável.

Já teve a impressão que toda a gente se veste da mesma maneira? Isto acontece porque o consumo de fast fashion é acessível a todos. Aposte em marcas nacionais, com pequenas produções que garantem a exclusividade aos seus clientes oferecendo peças duradouras com design único.

Estará ainda a impulsionar o mercado da sustentabilidade pois desta maneira o produto não irá atravessar oceanos e meios de transporte poluidores para chegar às suas mãos.

 

 

 

 

 

Compre menos e personalize mais:

Muitas peças são descartadas por pequenos defeitos como furos ou uma nódoa difícil de remover. Recorra a lavandarias e/ou costureiras para recuperar a sua peça. A personalização também é uma alternativa a peças que já não nos identificamos e por vezes, com pequenas alterações, temos uma peça nova sem precisar de renovar o armário.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Doe ou venda peças que já não usa:

Tem peças que já não gosta ou com que já não se identifica? Doe a instituições de caridade ou faça você mesmo uma "feirinha" com as suas amigas e vendam as peças.

O fundamental do desapego, para além de movimentar o mercado “verde”, é ter a consciência de que se já não usamos mais uma peça, há alguém que irá usar e ficamos todos a ganhar.