Search

A revista MEIO AMBIENTE INDUSTRIAL publicou uma matéria completa sobre o evento. Clique AQUI e fique por dento de tudo que aconteceu na primeira edição que aconteceu em julho de 2019.


Idealizada pela Associação Brasileira das Empresas de Consultoria e Engenharia Ambiental (Aesas) e organizada pela Soldí Ambiental a I Conferência de Gerenciamento de Áreas Contaminadas foi considerada uma referência na América Latina. O evento reuniu mais de 830 profissionais de vários países do mun- do dentre Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Portugal, Uruguai, Argentina, Espanha, Canadá, Chile, Peru, Suíça, Itália, Nova Zelândia, França, Suécia, Bélgica e Holanda. Foram mais de 35 patrocinadores de toda a cadeia de Gerenciamento de Áreas Contaminadas. Realizada entre os dias 2 e 4 de julho, no Centro de Convenções do Centro Universitário Senac Santo Amaro, em São Paulo, esta primeira edição teve oito sessões por dia com palestras de especialistas nacionais e internacionais, além de pôsteres, mesa redonda e uma feira de negócios, que permitiu a participação de patrocinadores e expositores divulgando seus produtos e serviços, além do ambiente para networking. Mais de 250 trabalhos técnicos de altíssima qualidade fizeram da conferência um grande sucesso.






O curso de Seleção de Técnicas de Remediação teve casa cheia em mais um "Encontro Técnico de Gerenciamento de Áreas Contaminadas" da parceria entre Senac e Aesas. Foram 3 dias de curso onde os quase 40 alunos presentes do segmento de Gerenciando de Áreas Contaminadas tiveram a oportunidade de debater sobre o tema em um riquíssimo encontro com os excelentes profissionais que ministraram o curso. Ministraram o curso os instrutores Katia Mellito, Fernanda Campos Oliveira, Paulo Negrão, Roberto Abdalla Machado, Valter Leite, Thiago Gomes e Rodrigo Cunha. A organização de todos os cursos da série é da Soldí Ambiental.




Dia 03/10/2019 a APEMETA - Associação Portuguesa de Empresas de Tecnologias Ambientais, realizou um workshop sobre "As principais mudanças na NP EN ISO/IEC 17025:2018 - Requisitos gerais de competência para laboratórios de ensaio e calibração". Na oportunidade cera de 30 profissionais de diversos segmentos laboratoriais estiveram presentes para debater o tema que teve foco nas especificidades da transição da norma em Portugal. Patricia Almendro Ruiz, diretora da Soldí Ambiental, empresa Brasileira especializada na implantação da norma em empresas que realizam amostragem e ensaio em matrizes ambientais foi a oradora dos painéis que abordavam as principais mudanças e dividiu com os participantes sua experiência sobre o processo de transição no Brasil, que no país, é liderado pela CGCRE - Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro. Os temas de maior polêmica foram relacionados à implementação da gestão de risco nos processos do laboratório e riscos à imparcialidade e os desafios para estimar a incerteza de medição na etapa de amostragem. Patricia relata que embora tenha sido um desafio no início, as mudanças foram bastante positivas para os laboratórios e certamente trarão ganho com relação à eficácia dos sistemas de gestão. Além dos painéis sobre as principais mudanças, a Dra. Ana Duarte, representando a Relacre -  Associação de Laboratórios Acreditados de Portgal, discorreu sobre os requisitos do IPAC sobre a participação dos laboratórios em ensaios de aptidão. O evento foi realizado pela APEMETA e teve o apoio da Soldí Ambiental, AESAS - Associação Brasileira das Empresas de Consultoria e Engenharia Ambiental e da Relacre de Portugal.