Você provavelmente já teve alguma oportunidade de contato com a plataforma de vídeo lançada pelo Facebook em 2018. O Facebook Watch foi lançado para concorrer diretamente com o YouTube, ele reúne o conteúdo publicado pelas páginas que você segue e funciona integrado ao aplicativo da rede social, no celular.


Quase um ano após o lançamento, o Facebook anunciou nesta quarta, 12/06, um balanço sobre a aplicação, incluindo o alcance da Liga dos Campeões na América Latina. Segundo a companhia, cerca de 140 milhões de pessoas passam pelo menos um minuto no Watch, diariamente, gastando em média 26 minutos na plataforma.

O Facebook anunciou parcerias com produtoras globais para trazer à plataforma Watch programas populares como o The Voice da Alemanha, bem como os destaques de jogos esportivos. A empresa também está investindo em seu próprio conteúdo original para o serviço.

Facebook possui os direitos de transmissão da Champions para o Brasil e países de língua portuguesa da América Latina (Crédito: Reprodução)

Como a plataforma afeta o streaming?

Após quase uma década do início das transmissões de filmes e séries pela internet – serviço chamado de streaming -, a era do ao vivo chegou. Como exemplo, é possível observar que o mundo futebolístico está experimentando outros campos além da televisão.

Em um ambiente virtual de transmissão ao vivo, o torcedor pode interagir diretamente com outros que compartilham da mesma paixão – embora não estejam no mesmo ambiente físico, é uma experiência mais interativa do que assistir ao jogo sozinho em seu

apartamento. É possível, ainda, utilizar o dispositivo que preferir, seja este seu smartphone, computador ou até a Smart TV, sem que seja necessário pagar um canal mensalmente – o que pode custar até 100 reais, dependendo da operadora de TV paga.




A Propaganda e o FB Watch

No lançamento da plataforma no Brasil, o líder de entretenimento do Facebook, comentou que o Watch tem como objetivo contemplar a monetização e o espaço para criadores de conteúdo.

Já em Fevereiro de 2019 após quase dois anos de testes nos Estados Unidos, a empresa liberou os anúncios em vídeos publicados por páginas brasileiras. Eles são chamados pela empresa de Ad Breaks e aparecerão durante os vídeos que são assistidos no Facebook.



Segundo o Facebook, as páginas usando Ad Breaks triplicaram na comparação com o ano passado. Também afirmou, que publicadores que ganham mais de US$ 1 mil por mês aumentaram oito vezes, e as páginas ganhando mais de US$ 10 mil mensais cresceram mais de três vezes.



Quer começar a utilizar a ferramenta?

Pense em Ad Breaks com duração entre 6 e 15 segundos, isso porque já conhecemos o quanto o usuário pode perder o interesse no vídeo que está assistindo se a propaganda for extensa, os anúncios podem aparecer antes ou durante o vídeo. Assim como no YouTube, há também um espaço publicitário que aparece na parte inferior do vídeo, que pode ficar ali durante toda a exibição se não for fechado.

Você encontrará a opção Ad Breaks na plataforma de publicidade oficial do Facebook, o Ads Manager.



Finalmente, é importante lembrar que a melhor opção de comunicação e propaganda para sua empresa passa pela escolha correta do meio, do formato do anúncio e da mensagem.

Se o seu objetivo é se comunicar com seu público -alvo, então antes de qualquer decisão de publicidade, procure entender mais quem é seu público, onde ele está e quais meios ele mais utiliza para se manter informado. Além disso, utilizar apenas um só meio de comunicação não é mais a receita para atrair e reter o consumidor. Hoje as pessoas podem estar em todos os lugares mas o comportamento e estilo de vida de cada uma é o que as diferencia. É por esse caminho que você pode atingir o objetivo da sua marca.


#facebookwatch

#livestreaming

#meiosdecomunicação

#marketingdigital

#facebookads








Updated: 27 de Mai de 2019

O que Renault e Caverna do Dragão tem em comum?


Isso é Marketing de fato! Isso é o que aprendemos na "escola". Dá gosto ver! Como transformar uma ideia que já está na mente do seu público-alvo em algo vendável e lucrativo?

Tem um passo importantíssimo que muitas vezes não acontece antes do lançamento de um produto: a tal Pesquisa. Pois é, Kotler disse "pesquise seu público" e nós acreditamos e sabemos que a formula funciona mas nem sempre é possível aplicar, né?

No dia a dia do Marketing, da comunicação, da publicidade e mídia, dos prazos curtíssimos e deadlines ousados para lançamento de um produto, nem sempre as tais "regras" são seguidas corretamente. Fazemos o que é possível (na verdade fazemos também o impossível). 

Nossas entregas são sempre acima do esperado. Os profissionais de Marketing que conheço são absurdamente criativos, competitivos e detalhistas. 

Imagine o que esses profissionais não fariam com um pouco mais de prazo ou um pouco mais de flexibilidade das regulamentações de cada setor da indústria.

Parece que a Renault fez o "impossível" e foi certeira ao mexer com as emoções dos consumidores, o que exige muita responsabilidade. Afinal, estamos falando da #cavernadodragão


;)




A maior dificuldade enfrentada por indústrias e agências na motivação de equipes externas é o distanciamento físico entre o backoffice e os promotores. Isso quer dizer que os supervisores devem estar sempre atentos à motivação do time no ponto de venda. Eles são a ponte entre o que acontece no PDV e o escritório.



As campanhas motivacionais, quando bem desenvolvidas, podem trazer resultados diretos e

diferenciar sua marca da concorrência. No que diz respeito a campanhas focadas em promotores que atuam no PDV, se faz necessário uma série de análises e acompanhamentos, objetivando o sucesso da campanha e o aumento das vendas.


Além da barreira de localização, criar campanhas motivacionais para vendas pode ser um desafio por diversos outros aspectos: a rotatividade é expressiva, o perfil dos profissionais varia muito e alguns promotores trabalham com agendas compartilhadas, defendendo mais de uma marca no ponto de venda.

Acontece que tudo o que a equipe de campo faz, influência diretamente no trabalho efetuado pelo backoffice.


Alexandre Apendino é vice-presidente da TOTVS. Durante palestra na edição de 2018 do Vendas B2B Experience, ele revelou que uma cultura de vendas vencedora precisa de seis ingredientes básicos:


Confiança

Preparação

Brilho nos olhos

Tesão

Autodisciplina

Vontade de aprender


Sempre que pensar em campanhas motivacionais, lembre-se de ter como norte o seguinte: é imprescindível enxergar as pessoas como pessoas. Seus promotores de vendas não são números, nem funções. São seres humanos.


[...O marketing 3.0 de Kotler nos ensina que o novo marketing está centrado no ser humano. Nesse sentido, quando falamos em campanhas de incentivo, onde o público alvo são colaboradores, clientes ou fornecedores, devemos lidar da mesma forma. Estratégias de campanhas de incentivo devem tratar o público alvo como seres dotados de Mente, Emoção e Espírito...]


Saiba mais sobre esse tema acessando o Clube do Trade.