• Nathalia Oliveira

FELICIDADE... É o que temos ou o que queremos?

 

 

Olá pessoas... quero escrever um pouquinho a cerca do que é felicidade.

 

Nós tendemos a maioria das vezes a buscarmos feito loucos pela felicidade sem se quer pararmos para contemplar o belo da estrada que percorre a busca do caminho para a felicidade.

 

Quero buscar agora refletir sobre o hoje. O agora. Esse exato momento.

 

As vezes nos propomos metas tão grandes que ficam impossíveis de serem cumpridas ou quando cumpridas estamos tão casados que nem conseguimos apreciar a vitória, ou as vezes ela não é valorizada pelas pessoas que mais queríamos que se orgulhassem dessa conquista, ou na pior das hipóteses queremos tanto que de qualquer jeito executamos o proposto de qualquer forma que o resultado não é o mesmo do esperado - o famoso “o remendo é pior que o rasgo”.

 

Assim da pra concluir que o hoje, o presente ... é tudo perfeito, o que muda são as lentes dos olhos de quem vê.

 

Eu por exemplos quantas vezes pedi para Deus as coisas que hoje já tenho e quantas vezes eu parei para agradecer genuinamente por tudo que ele me concedeu.

 

Acho muito interessante a frase que diz “ainda dirão que foi sorte”.

 

É fato que a grama do vizinho sempre vai ser mais verde, a vida do coleguinha sempre vai ser mais perfeita, porque a vida é um imenso aprendizado e aprender nem sempre é fácil, na grande maioria das vezes é difícil, obvio que você leva mais aptidão para umas coisas do que para outras.

 

Exemplos pessoais, eu levo o maior jeito para lavar louça, eu não vou dizer que gosto, mais posso dizer que desempenho a tarefa com prazer, e quero no final deixar limpinha, seca e no lugar organizado. Dai como nem tudo é perfeito, minha comida não é das melhores para não dizer coisa pior, é comível, mais gostosa já seria pedir demais. Meu primeiro arroz lembro como hoje, foi intragável, água demais e sal de menos e os outros que se seguiram por alguns meses foram do mesmo jeito eu demorei um pouco para aprender, já minha primeira louça que lavei nem mesmo lembro mais sinto que não tive do que me reclamar.

 

O que quero dizer com minhas prendas domésticas, foi um pequeno exemplo de se levar para a vida.

 

No seu cenário de vida atual com toda certeza tem coisas que você gosta e coisas que não gosta, o problema é que a gente costuma valorizar mais o NÃO do que sim, ai aquele pouco vira nada, ai some a gratidão e o universo te devolve aquilo que você oferece.

 

Assim a sugestão é mudar um pouco o ponto de vista.

 

1º) Despertar o ato da gratidão, vamos agradecer, o dia, a vida, a saúde, a família, o amor, o teto, o pão sobre a mesa, e tudo que fizer sentido para você.

 

2º) Vamos tirar o não da frente dos projetos, o não vai dar certo irá dar espaço ao vai dar certo sim, o não vou conseguir por vou conseguir, e assim sucessivamente.

 

Li uma pesquisa que fala justamente isso que o nosso cérebro toma posse do nosso não e tende a determinar e a atrofiar os nossos anseios. Por via das dúvidas não custa nada tentar, não é arrogância é otimismo.

 

3º) Fazer valer. O que será que eu estou fazendo para tomar posse da minha vitória, para conquistar o que eu quero? Já dizia a música “não adianta olhar para o céu com muita fé e pouca luta”.

 

E durante todo esse percurso contemple a trajetória, aproveite cada minuto da vida porque são únicos.

 

“A felicidades está nos olhos de quem vê” (Jonathan Cravo).

 

 

Que Deus lhe abençoe!!

“Filho meu, se aceitares as minhas palavras, e entesourares contigo os meus mandamentos...” (Pv2:1)

0 visualização