Buscar

Há 130 anos, tinha início a Football League, pioneira no mundo


A bola rola há 130 anos, pela primeira rodada da história da Football League.
O surgimento da Football League, ocorrido há 130 anos, é a verdadeira Pedra de Roseta dos campeonatos de futebol no formato de liga em todo o mundo. O sistema de competição no qual todos os times se enfrentam regularmente a cada semana, com contagem de pontos para se apontar o campeão teve seu pontapé inicial naquela tarde de 8 de setembro de 1888, com as cinco partidas que perfizeram a rodada inaugural do torneio. Relembramos aqui o caminho até a criação da liga e como se desenrolou sua abertura.

UMA BREVE CONTEXTUALIZAÇÃO DO FUTEBOL ATÉ ALI

Nos 25 anos entre a regulamentação do jogo – e da oficialização dela pela Football Association inglesa – e a criação da liga, o futebol passou por vários momentos de depuração. Além de várias alterações pontuais nas regras, alguns eventos foram passos fundamentais para a instituição da competição. Houve, em outubro de 1871, a criação da FA Challenge Cup (hoje mais conhecida apenas como FA Cup), cuja primeira edição foi concluída no ano seguinte.

E houve toda a disputa envolvendo as equipes do norte e do sul (notadamente Londres) da Inglaterra quanto à admissão ou não do profissionalismo. Os sulistas, tão ricos quanto puristas, opunham-se a tudo que consideravam uma ameaça ao espírito amador original do jogo. Suas equipes, formadas em sua maioria por universitários e profissionais liberais, dominaram o cenário nacional até meados da década de 1880 – dos 15 times que disputaram a edição inaugural da FA Cup, nada menos que 13 eram da região de Londres.

Já os clubes do norte e da grande região industrial de Midlands viviam realidade bem diferente: muitos tinham raízes proletárias e equipes formadas por operários – que eram descontados em seus salários pelas horas passadas fora do trabalho jogando futebol. Por outro lado, começaram a adotar a prática de atrair jogadores escoceses (treinados em um estilo de jogo mais técnico, de passes, que os ingleses) em troca de postos de trabalho ou mesmo pagamentos secretos.

O expediente começou a trazer resultados em 1883, quando o Blackburn Olympic se tornou o primeiro time fora de Londres a levantar a FA Cup. Mas também levantou suspeitas da Football Association, que respondeu com medidas “drásticas” na edição seguinte, expulsando o Preston e o Accrington do torneio sob a acusação de efetuarem pagamentos a seus jogadores. Os clubes nortistas ameaçaram se rebelar e romper com a FA, fundando outra associação, mas a entidade acabou recuando e aceitando oficialmente a implementação do novo regime em 1885.

A adoção do profissionalismo trouxe, por outro lado, um problema para os clubes naquele momento: como manter os pagamentos ao elenco diante de um calendário de jogos um tanto incipiente? Como a FA Cup era disputada inteiramente em sistema eliminatório, os clubes que eram desclassificados na competição ficavam relegados a disputarem apenas amistosos, jogos que já naquela época eram considerados pouco atrativos pelo público, além de acontecer de serem marcados e desmarcados sem que os torcedores tomassem conhecimento.

NASCE UM NOVO TORNEIO

William McGregor, dirigente do Aston Villa e pai da ideia da Football League.
A ideia partiu de William McGregor, dirigente do Aston Villa (já uma das equipes mais fortes do país), que escreveu para seus pares do Preston North End, Bolton Wanderers, Blackburn Rovers e West Bromwich Albion propondo um novo campeonato: os dez ou doze principais times do país se enfrentariam em jogos dentro e fora de casa ao longo de uma temporada. Com o ‘sim’ dos colegas, logo foram convidados o Accrington, o Burnley, o Derby County, o Everton, o Notts County, o Stoke e o Wolverhampton Wanderers, completando uma dúzia.

Em princípio, o conjunto dos clubes se chamaria Association Football Union, mas o nome não vingou: quando a competição foi definitivamente criada, em resolução aprovada num encontro no Royal Hotel em Manchester, em 17 de abril de 1888, ela já havia sido rebatizada com o nome que entraria para a história: Football League. O termo “liga” era bastante usual na época para designar um grupo ou associação de pessoas ou entidades em torno de uma finalidade comum.

Três outros clubes – Halliwell, Nottingham Forest e The Wednesday (mais tarde Sheffield Wednesday) – também manifestaram seu desejo de participar da liga. Mas acabaram sobrando por motivos de calendário: depois de estudarem a tabela da FA Cup, os membros fundadores da liga encontraram apenas 22 datas livres para a realização do novo torneio, o que era suficiente apenas para um campeonato com 12 participantes.

É significativo notar também que todos os clubes fundadores da liga (e mesmo os que tiveram a entrada vetada) se restringiam às regiões central e norte da Inglaterra, especialmente Midlands e Lancashire. Nessa época, os clubes da área de Londres que mais tarde se filiariam à Football League ainda permaneciam no amadorismo ou sequer existiam. Somente em 1893 o Woolwich Arsenal (que anos mais tarde suprimiria seu prenome) se tornaria o primeiro clube londrino a aderir, abandonando a associação local da capital.

A BOLA COMEÇA A ROLAR

Pouco menos de cinco meses depois de oficialmente criada, a Football League teve enfim seu pontapé inicial no sábado, 8 de setembro de 1888. Curiosamente, apenas dez das 12 equipes entraram em campo: naquele dia, o Blackburn estava jogando – e perdendo – um amistoso com o Newton Heath (futuramente rebatizado Manchester United), equipe que disputaria outro torneio surgido na esteira da criação da liga, a Football Combination. Diante disso, o Notts County, que seria o primeiro adversário dos Rovers, também não participou da rodada de abertura.

Dos 12 estádios utilizados na temporada inaugural, cinco não existem mais e três recebem atualmente apenas partidas de críquete, enquanto quatro seguem servindo a clubes da liga: Deepdale (Preston North End), Turf Moor (Burnley), Victoria Ground (Stoke) e Anfield Road, que na época pertencia ao Everton. Três deles – a exceção foi o Turf Moor – receberam jogos na rodada de abertura da liga naquela tarde de 8 de setembro.

Em Anfield, diante de cerca de 12 mil torcedores, o Everton bateu o Accrington por 2 a 1 com dois gols marcados pelo ponteiro-direito escocês George Fleming. No Victoria Ground, com um público de 4.524 pessoas, o Stoke foi batido pela forte equipe do West Bromwich Albion, então detentor da FA Cup, por 2 a 0, com dois gols nos minutos finais do jogo, anotados pelo ponta-esquerda Joe Wilson e pelo meia-direita George Woodhall.

Em Deepdale, o Preston não tomou conhecimento do Burnley. Abriu a contagem logo aos dois minutos com o meia-esquerda (e capitão) Fred Dewhurst, ampliando no minuto seguinte com o ponta-direita Jack Gordon. Pat Gallocher descontou para os visitantes aos 22. Mas na etapa final, os donos da casa dispararam a goleada, com dois do meia Jimmy Ross e outro de Dewhurst. No último minuto, Fred Poland descontou para o Burnley.

O outro placar elástico da rodada veio de Pike’s Lane, antigo campo do Bolton Wanderers, mas a favor do visitante Derby County. Foram os Wanderers, no entanto, que começaram o jogo a todo vapor, marcando três vezes em nove minutos: Kenny Davenport anotou aos dois e aos quatro, antes do ponta-esquerda James Brogan ampliar. Mas a virada sensacional dos Rams começou ainda na primeira etapa, com dois gols de Lol Plackett, um de George Bakewell e outro de Lewis Cooper. Bakewell fez mais dois na etapa final, fechando o placar em 6 a 3 para o Derby.

O único empate veio no duelo de West Midlands entre Wolverhampton Wanderers e Aston Villa, no velho campo dos Wolves em Dudley Road. O zagueiro Gershom Cox, do Villa, abriu o placar marcando contra aos 30 minutos do primeiro tempo, mas seu time foi salvo com o gol de empate marcado por Tommy Green ainda na etapa inicial. O tento contra de Cox, por sinal, foi durante muito tempo considerado o primeiro da história da liga.

MARCAS HISTÓRICAS E CURIOSIDADES

A confusão se deveu a uma informação errada que acabou eternizada quanto ao horário de início da partida. Todos os jogos da rodada estavam marcados para começar às 15h30. Mas, por uma grande ironia, os ingleses não foram pontuais: alguns jogos começaram com atraso, enquanto o confronto entre Wolves e Villa – acreditava-se – teria começado antes, às 15h em ponto. Portanto, mesmo tendo sido marcado já com um bom pedaço do primeiro tempo em andamento, o gol contra havia saído antes de os outros jogos começarem.

Recentemente, porém, pesquisadores descobriram que a partida começou no horário devido, às 15h30, o que transferiu a candidatura à primazia aos dois gols marcados aos dois minutos do primeiro tempo naquela rodada: o de Fred Dewhurst para o Preston e o de Kenny Davenport para o Bolton. Só que o jogo dos Trotters começou às 15h45, cinco minutos antes do dos Lilywhites. E, sendo assim, mais de um século depois, Davenport pôde enfim entrar para a história.

O Preston North End, primeiro campeão inglês.
A classificação do campeonato também proporcionou fatos curiosos. Pelo regulamento original, o campeão seria simplesmente o time que vencesse mais partidas. Somente durante o desenrolar da competição é que achou-se mais conveniente adotar um sistema de pontuação, coisa até então inédita: vitórias valiam dois pontos; empates, apenas um. Também não havia nenhum critério de desempate estabelecido. Somente a partir da temporada 1894-95 é que seria adotado o que se chamou de “goal average”, a divisão dos gols marcados pelos sofridos.

Pouco menos de quatro meses depois, no início de janeiro o Preston conquistaria a liga com uma campanha irretocável (18 vitórias e quatro empates nas 22 partidas) e, meses depois, levantaria também a FA Cup, completando o que seria a primeira dobradinha da história e recebendo o apelido de “Invincibles”. Mas sua campanha será contada de maneira mais detalhada no site daqui a algum tempo, com um texto especial.

O regulamento também estipulava que os quatro últimos colocados, para continuar no torneio para a próxima temporada, deveriam enviar suas candidaturas a reeleição como membros da liga para que fossem avaliadas por uma comissão da entidade. Ao fim daquela primeira campanha, para o alívio geral, todos foram aceitos novamente. A segunda divisão só seria criada em 1892, e o acesso e descenso automáticos só chegariam em 1898-99.

Um dos 12 pioneiros, porém, não permaneceria por muito tempo não só na liga como no futebol profissional: rebaixado em 1893 após perder a repescagem, o Accrington decidiria em seguida deixar a Football League em caráter definitivo e encerraria suas atividades três anos depois. A cidade só voltaria a ser representada na liga com a admissão do Accrington Stanley em 1921, em meio a uma expansão que deu origem à terceira divisão.

BÔNUS: Neste link, os uniformes utilizados pelos participantes da temporada inaugural da Football League.
933 visualizações