• Quinta das Ginjas

Própolis: Extracção e Utilizações

 

O Própolis não é mais do que uma substância produzida pelas Abelhas à base de resina, cera, óleos essenciais e pólen. A sua composição é no entanto variável dependendo da diversidade de flores visitadas.

As Abelhas produzem-no como isolador térmico, para selar frestas e como desinfectante da própria colmeia. Etimológicamente, Própolis provém do grego "pro" - a favor de e "polis" - cidade, ou seja, que se trata de algo que actua em defesa (ou a favor) da cidade, no caso, a Colmeia.

 

O seu uso pelo Homem prende-se pelo facto de possuir propriedades antibióticas, anti-sépticas, anti-inflamatórias e antibióticas. É igualmente um importante coadjuvante do processo de cicatrização estando disponível no mercado sob inúmeras formas patenteadas de solução, spray, cápsulas e outras. Obviamente, o seu uso deve ser feito de forma regrada e de acordo com as indicações do fabricante. Sendo um produto natural, o consumidor deverá estar atento a possíveis reações alérgicas e hipersensibilidades.

 

 

Não tendo tido ainda a devida atenção por parte dos apicultores, só mais recentemente se tem verificado um crescente interesse na sua colecta. Se o factor económico não fosse o bastante para o justificar (o quilograma de Própolis pode ser pago entre os 40-50€), a sua colecta em nada parece afectar a produção dos outros produtos da colmeia como sejam o mel, o pólen sendo o seu manuseio extremamente simples.

 

 

Como colectamos o Própolis?

Existem varias formas e equipamentos para a sua colecta. Contudo, na Quinta utilizamos unicamente grelhas plásticas flexíveis que são colocadas por baixo da prancheta de cada colmeia. Estas grelhas, como o nome indica, são constituídas por inúmeras ranhuras que as Abelhas tenderão a preencher (calafetar) no sentido de conseguirem um maior isolamento da colmeia. Esta grelha, não interfere nas normais actividades de maneio. Quando esta se apresentar preenchida de Própolis, poderá então ser substituída por outra. A quantidade de Própolis que se recolhe depende de cada colónia (genética, condições climatéricas, flora no local...) sendo que uma grelha completamente preenchida poderá oferecer cerca de 200-300 gr de Própolis.

A sua recolha é simples. À temperatura ambiente, o Própolis apresenta-se como uma "massa viscosa" e que se adere a todas as superficies e tecidos (de difícil remoção...). Assim, o seu transporte da colmeia para a Unidade de Produção Primária dever-se-á fazer devidamente acondicionado em recipientes/sacos de plástico evitando a sua contaminação. O seu manuseio torna-se muito facilitado após refrigeração. Nessa medida, colocamos as grelhas por algumas horas numa arca de congelação para em seguida, e dentro de um recipiente fundo e de plástico, as dobrarmos por forma a que o Própolis se solte em inúmeros fragmentos que serão embalados em sacos herméticos e mantidos a baixas temperaturas.

 

Trata-se de um produto apícola de boa rentabilidade financeira e de pouco trabalho para o apicultor. Ao contrário do mel e pólen, o Própolis não se encontra disponível para venda direta ao público sendo escoado para a industria para processamento.

#Própolis