Buscar
  • ighbahia

A publicação da memória histórica e cultural no IGHB

 

 

 

ARTIGO

A publicação da memória histórica e cultural no IGHB

 

O Instituto Geográfico e Histórico da Bahia - IGHB tem contribuído substantivamente,ao longo de 124 anos, com a preservação da memória do povo baiano.

Na Casa da Bahia, pode-se interagir com as ideias, pensamentos e falas de quem leu a vida e a memória histórica dos baianos e dos brasileiros. Precisamente, se debruçarmos sobre as 113 Revistas do IGHB. Nelas se consolidam o pensamento de mais de um século de personalidades históricas, políticas e culturais da Bahia.

A Revista IGHB cumpre a função institucional de analisar, selecionar, avaliar, publicar e divulgar a memória do povo baiano nas suas páginas. Para isto, adotamos uma metodologia de participação mais horizontal da comunidade.

Publicamos o Edital 001/2018 em agosto do corrente ano, com prazo até 28/02/2019, cuja finalidade é a de receber os artigos para o número 114/2019. A Revista passou por uma repaginada no seu projeto gráfico e editorial.

No volume 113/2018 incluiu-se a política de retomar à memória dos ícones, mártires e heróis de nossa história e da cultura baiana, que adormecem nas páginas de livros centenários e descansam em muitas estantes de bibliotecas públicas e particulares da humanidade.

A ideia é dedicar mais espaços às figuras ilustres, que contribuíram com a dignificação de nossa história. A releitura começa na primeira capa. A partir deste número, terá uma imagem ilustrativa em alusão ao foco, que será abordado com ênfase nas diversas seções.

Neste volume terá a imagem representativa do ícone histórico homenageado, o rosto dos conjurados, imagem que configurou o sentimento de reconhecimento do movimento da Conjuração Baiana.

Neste ano de 2018, a Diretoria de Publicação ampliou a atuação e o compromisso de ir além da publicação da Revista. Criou o Selo Série Memória IGHBcom a finalidade de editar a memória de heróis, mártires, ícones e notáveis da geografia, história, cultura e arte baiana, e suas interfaces, e reeditar obras históricas em domínio público.

 

Maria Nadja Nunes Bittencourt – Diretora de Publicação do IGHB

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

#photo

1 visualização