Ascensão e morte de Alexandre Cazes, o nerd que criou o maior mercado negro da internet

Ele se suicidou na cadeia, segundo a versão oficial da polícia tailandesa.

 

Alexandre CazesAlexandre Cazes
Cazes: fim na Tailândia | Foto: reprodução Departamento de Justiça Americano/Facebook

A vida de Alexandre Cazes durou pouco: 25 anos. Começou em Quebec, no Canadá, e acabou numa cela da Tailândia, no começo do mês.

 

Cazes criou o AlphaBay, o maior mercado ilegal da darknet na história - muito maior do que o Silk Road, segundo os dados do Departamento de Justiça americano.

 

Em dois anos, o AlphaBay de Cazes se tornou notório pelo comércio de drogas, armas, documentos roubados e fraudados, mercadorias contrabandeadas, produtos químicos tóxicos, malware e ferramentas para crackers.

 

No site, as pessoas usavam o serviço Tor, que permite o anonimato para boas e más causas, e bitcoins.

 

As categorias de seu menu iam de fraude a remédios para emagrecer . O AlphaBay alardeava 200 mil usuários e 40.000 vendedores anônimos.

 

Num levantamento feito pelos investigadores este ano, apareceram 122 vendedores de fentanil, um opiáceo, e 238 de heroína.

 

As listas de drogas ilegais e produtos químicos tóxicos passavam de 250 mil itens, de acordo com o comunicado do Departamento de Justiça americano.

 

Cazes construiu o AlphaBay quase um ano depois da queda do Silk Road, em 2013. Enriqueceu rápido e mudou seu estilo de vida de nerd discreto para o de um milionário que gostava de luxo.

 

Carros de luxo

 

Em sua garagem na Tailândia foram encontrados uma Lamborghini, um Porsche e uma motocicleta BMW. Tinha seis propriedades já identificadas: quatro na Tailândia, inclusive um hotel, uma na ilha de Chipre, no Oriente Médio, e uma no Caribe.

 

Na quarta-feira, o Departamento de Justiça americano abriu um processo para confiscar tudo o que ele a mulher têm no mundo todo, incluindo Tailândia, Chipre, Lichtenstein e Antígua & Barbuda.

 

Cazes também possuía milhões de dólares em criptomoedas, segundo as autoridades. A Forbes diz que ele tinha reservas não só em bitcoins, mas também ethereum, monero e zcash.

Ele era conhecido em sua família de canadenses como um gênio da tecnologia.

 

Aparentemente, ele teve uma empresa legítima, a EBX Technologies, que prestava serviços de internet e com o tempo virou empresa de fachada.

 

Seu perfil público listava domínio de arquitetura de software, administração de servidores, criptografia, bancos de dados Oracle e MySQL, Java, PHP...

 

Tudo isso, mas aparentemente ele caiu por um erro primário. Durante um período, mandou mensagens a clientes de seu site com um e-mail que podia ser associado a ele mesmo - pimp_alex_91@hotmail.com. Localizá-lo não era uma missão impossível.

 

Quando ele foi pego, na Tailândia, seu notebook estava aberto sobre a cama, com a permissão de administrador.

 

Para fechar o AlphaBay foi montada uma força-tarefa dos Estados Unidos, Tailândia, Holanda, Lituânia, Canadá, Reino Unido e França. A Europol também participou.

 

Sete dias depois da prisão de Caze, as autoridades da Tailândia afirmaram que ele se suicidou.

 

#Armas #Crimes #Darknet #Drogas #EUA #Internet #Tailândia