Buscar
  • accunha

Audiobiografias femininas em destaque

Atualizado: Jul 19

Embora tardia, mas antes isto do que nunca, o mercado editorial brasileiro se volta com profissionalismo para atender à demanda do país por audiolivros. Nesse movimento, cresce a quantidade de áudiobiografias, com presença positiva de mulheres. O site autibooks compartilha sete histórias de vida em áudio.

Estrela em áudiobiografiaEstrela em áudiobiografia

EM APRENDIZADOS, Gisele Bündchen revela quem é e quais ensinamentos a ajudaram a viver uma vida com mais significado. A obra é de uma jornada da sua infância, na cidade gaúcha de Horizontina, à carreira internacional, ao casamento e à maternidade. Segundo resenha da editora, o livro demonstra grande sinceridade e vulnerabilidade ao revelar a vida íntima de uma mulher extremamente pública.

Clique aqui e ouça o que Gisele diz sobre a própria vida.

Novo olhar sobre o próprio corpo.Novo olhar sobre o próprio corpo.
Daiana Garbin

FAZENDO AS PAZES COM CORPO. Outra história interessante é de Daiana Garbin, que tinha vergonha de si e de seu descontrole diante da comida. Encarou dietas, passou por três cirurgias plásticas, fez procedimentos estéticos e ficou viciada em remédios para emagrecer – sempre acreditando que um corpo magro lhe traria paz e felicidade. Depois de muito sofrimento, ela descobriu que a insatisfação em relação ao seu corpo não era vaidade nem frescura: era doença. Neste audiolivro, ela revela o longo caminho que percorreu para aprender a ficar em paz com seu corpo e com a comida. Clique aqui para ouvir Daiana sobre o livro que escreveu.

Feminista e contra o racismoFeminista e contra o racismo
Djamila Ribeiro

QUEM TEM MEDO DO FEMINISMO NEGRO? reúne um longo ensaio autobiográfico de Djamila Ribeiro. A filósofa e militante recupera Memórias de seus anos de infância e adolescência para discutir o que chama de "silenciamento", processo de apagamento da personalidade por que passou e que é um dos muitos resultados perniciosos da discriminação. Foi apenas no final da adolescência, ao trabalhar na Casa de Cultura da Mulher Negra, que Djamila entrou em contato com autoras que a fizeram ter orgulho de suas raízes e não mais querer se manter invisível.

Ouça Djamila, aqui.

Long de casaLong de casa
Malala Yousafzai

LONGE DE CASA, de Malala Yousafzai, narrado por Klara Castanho. Tradução de Lígia Azevedo. Neste livro, a mais jovem ganhadora do prêmio Nobel da Paz conta sua história de migração e dá voz a garotas que estão entre os milhões de refugiados pelo mundo. A paquistanesa visitou campos de refugiados, o que a levou a pensar sobre sua própria condição de migrante — primeiro dentro de seu país, ainda quando criança, e depois como ativista internacional, livre para viajar para qualquer canto do mundo, exceto sua terra natal.

Malaia fala aqui do que a motivou a escrever essa obra.

Presença secularPresença secular
Helena Morley

MINHA VIDA DE MENINA, de Helena Morley, narrado por Klara Castanho. Aclamado por Carlos Drummond de Andrade e João Guimarães Rosa, o livro é o diário de uma garota de província do final do século XIX. Publicado pela primeira vez em 1942, antecipa a voga das histórias do cotidiano e dos relatos confessionais de adolescentes ao traçar um retrato bem-humorado da vida em Diamantina entre 1893 e 1895. Escute aqui no que Helena fala sobre o livro que escreveu.

Vida com compositor e cantor Chorão.Vida com compositor e cantor Chorão.
Graziela Gonçalves

SE NÃO EU, QUEM VAI FAZER VOCÊ FELIZ, de Graziela Gonçalves, narrado pela própria autora. Nesse livro de memórias, a viúva de Alexandre Magno Abrão, o Chorão, um dos maiores ícones do rock nacional, narra a história de amor dos dois. Chorão conquistou o Brasil pela sua entrega na hora de compor e cantar. Graziela conta como o relacionamento de quase vinte anos dos dois a transformou para sempre. Como companheira de Alexandre, ela o ajudou a enfrentar a dependência química, que o levou, tragicamente, à morte em 2013. Aqui

Relacionamento conturbado.Relacionamento conturbado.
Maya Angelou

MAMÃE & EU & MAMÃE, da poeta e ativista Maya Angelou, descreve o relacionamento conturbado dela com a mãe, a empresária Vivian “Lady” Baxter, com quem voltou a morar aos 13 anos, depois de dez sob os cuidados da avó paterna. É a jornada de uma mãe e filha em busca de reconciliação assim como uma reveladora narrativa de amor e cura. Ouça aqui o que Maya diz sobre o livro.

30 visualizações