Biometria registra uma média de 28 fraudes diárias nos ônibus

Neste ano, até outubro, foram constatados 8.552 casos, dos quais 572 reincidências

Biometria facial nos ônibus completa três anos em novembro (Foto: Reprodução EPTV)

O uso da biometria facial nos ônibus de Campinas para coibir fraudes no uso dos cartões Bilhete Único registrou, em média, 28 ocorrências neste sentido por dia na cidade. O controle tecnológico vai completar três anos em novembro. .

No primeiro ano de uso, foram registrados 19.223 casos de uso indevido. No ano passado, houve uma redução para 9.456 casos de fraudes.

Neste ano, até outubro, foram constatados 8.552 casos, dos quais 572 reincidências. "Neste ano, a média diária de fraudes constatadas pelo sistema é de 28 casos. Com essa média, o prejuízo anual é de R$ 50 mil", diz Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas).

Em relação aos números iniciais, quando o sistema foi instalado, houve uma redução pela metade no número de fraudes, mas o uso indevido ainda persiste e o número de reincidências é considerado alto.

Confirmado o uso indevido, o titular do benefício ou seu representante legal receberá uma correspondência no endereço informado quando da efetivação do cadastro. Deverá, então, comparecer à Transurc no prazo de dez dias, contados do recebimento da notificação. O não comparecimento resultará em bloqueio do cartão ou suspensão da venda de créditos.

Ao comparecer à Transurc, o titular do benefício ou seu representante legal será informado sobre o uso indevido do Bilhete Único e receberá penalidades gradativas. A primeira medida é uma advertência por escrito. Havendo reincidência, o benefício ficará cancelado por 30 dias (segunda medida), 90 dias (terceira medida) ou 180 dias (quarta medida).

Encerrado o prazo de cancelamento, o munícipe poderá solicitar a reativação do cadastro, mediante pagamento de valor equivalente a 10 (dez) vezes o valor da tarifa do Bilhete Único Comum.

A biometria facial permite identificar se a pessoa que utiliza o cartão nas categorias gratuito, idoso, escolar e universitário, é realmente o titular do benefício. Algumas pessoas tentam burlar o sistema, utilizando-se de cartões de outras pessoas. Todos os casos de uso indevido recebem advertência por escrito quando a fraude é constatada.

"Nunca é demais lembrar que as pessoas que cometem fraudes, seja no transporte ou em qualquer outro setor, prejudicam os demais. Os benefícios são concedidos para que as pessoas mais necessitadas tenham garantido o direito de ir e vir. E toda vez que há um uso indevido, aqueles que pagam a tarifa são prejudicados, pois o uso indevido impacta no cálculo da tarifa", argumenta.

 

Fonte: Acidade ON

1 visualização