• Marcelo Dieguez

Descubra porque, cientificamente, ser Otimista nos torna mais saudáveis.


Conforme eu ia avançando na leitura sobre o tema, mais eu ficava boquiaberto com a importância que o Otimismo exerce sobre nosso bem estar e nossa saúde. E o que me deixava mais estarrecido eram as comprovações científicas, mostrando que aquilo não era apenas suposições, mas sim fatos.


E para mantermos uma boa saúde, o Estilo Explicativo é uma peça importante nesta equação, pois como já vimos, é ele que irá definir se uma pessoa será otimista ou pessimista.


Mas como que o Otimismo, um evento psicológico, tem ação direta em nossa saúde e corpo físico? Isso é possível?

Não só é possível como foi comprovado pela ciência.


O Otimismo e a Boa saúde

Se pararmos para pensar, faz sentido que o Otimismo atraia uma vida mais saudável, concorda? Afinal, uma pessoa Otimista tem mais energia, determinação para fazer as coisas e não se dá por vencido, tendendo sempre em acreditar em si e que irá achar uma solução.

Mas como isso realmente funciona em nosso cérebro e em nosso corpo físico, material e celular? É o que vamos ver agora.


O Otimismo faz bem à saúde de 4 maneiras:


1) Sistema imunológico.

Eu preciso dizer que quando me deparei com essa primeira maneira, eu precisei parar um pouco para absorver o que acabara de ler, porque eu achei realmente impressionante o poder do Otimismo.


Em um experimento com ratos, pesquisadores dividiram-os em 3 categorias: (1) levavam choque, mas poderiam pará-lo(Otimistas); (2) levavam choque e não poderiam pará-lo por nada que fizesse(Desamparados); (3) não levavam choque(Normal).


O que eles constataram no fim do experimento foi algo surpreendente: verificaram nos ratos do segundo grupo, os Desamparados, uma redução da multiplicação das "Células T", responsáveis por reconhecer invasores(vírus, etc) e destruí-los. E também das "Células NK", que matam qualquer coisa estranha em nosso corpo.

Isso mostrou aos pesquisadores que o Desamparado Aprendido, quando acreditamos que não há mais nada a fazer e perdemos as esperanças, torna o nosso sistema imunológico mais frágil.

Em pessoas Desamparadas, que aceitaram sua situação e não tem mais esperança, as "Células T" não se multiplicavam com a mesma velocidade para destruir os invasores e as "Células NK" perderam a capacidade de matar invasores estranhos.

Em contrapartida, as pessoas que era mais Otimistas desenvolviam e tinham o sistema imunológico mais ativo.


Didaticamente falando, seria mais ou menos assim:

Quando uma pessoa Desamparada, com Estilo Explicativo Pessimista, enfrenta uma situação, ela já se dá por vencida, achando que não há nada a se fazer. Com isso em mente, meio que o cérebro passa essa mensagem para o sistema imunológico. "Galera, acabou. Não tem mais o que fazer." Então, como na vida, eles se conformam, e reduz sua atividade.


Já a pessoa Otimista, com Estilo Explicativo Otimista, não desiste e quer ir até o fim, vencer de qualquer jeito, por qualquer meio. Então o cérebro manda outro tipo de mensagem. "Pessoal, esse maluco quer mesmo sair dessa! Está fazendo de tudo, vamos nessa!" Então, como na vida, quando nos sentimos animados, damos mais energia ainda para fazer acontecer o que queremos.


Então o nosso Estilo Explicativo, que nos faz ser Otimista ou Pessimista, tem um grande impacto em nosso bem estar e em nossa saúde. Muito interessante, né?


2) Disciplina

As pessoas Otimistas são mais propensas a ser fiel a regimes mais saudáveis e também a seguir o que foi dito por algum profissional da saúde. Enquanto, por outro lado, o Pessimista, por não acreditar que se tenha mais algo a fazer, ignora o planejamento e o que lhe foi proposto, achando que é uma perda de tempo isso tudo.


Quantas vezes, quando alguma coisa ruim acontecia e nos sentíamos desamparados, nós não comemos direito, não tomamos os remédios que eram necessários? Isto fundamente esta segunda maneira, que é muito importante para todas as batalhas que enfrentamos quando se trata de saúde: Disciplina.


3) Diminuição de eventos negativos

Isso mesmo. Como os Otimistas encaram os eventos negativos e revezes de frente, eles eliminam o evento negativo. Enquanto isso, os Pessimistas estendem os eventos negativos. E ao estender os eventos negativos, eles aumentam a probabilidade de doenças e infecções, que o colocarão em um círculo vicioso.


4) Apoio Social

Este é um ponto chave para qualquer pessoa que esteja passando por problemas, tanto na área da saúde como em qualquer outra área.

As pessoas Otimistas usam e abusam de sua Rede de Apoio. Eles entendem que nenhuma luta é ganha sozinho e que, principalmente nestas horas, a ajuda de todas as pessoas é muito importante. Sendo mais humildes, eles reconhecem que precisam de suporte nestes momentos de vulnerabilidade.


Infelizmente o mesmo não acontece com os Pessimistas. Eles preferem ficar isolados para que ninguém os veja dessa maneira, vulnerável e em um estado frágil. Com isso, eles ficam desamparados e propícios para atrair novos males como doenças e infecções devido a diminuição do funcionamento do sistema imunológico, como vimos no item 1.


Saúde e Otimismo durante a vida

Pesquisas comprovaram que o Otimismo de uma pessoa tem uma relação forte com sua saúde durante toda a vida, principalmente após os 45 anos. A partir desta data, o Otimismo se torna determinante para a saúde de uma pessoa e pode também fazer a diferença nos próximos 20 anos.


Saindo do Círculo Vicioso para o Círculo Virtuoso

É muito importante entendermos a sequência dos acontecimentos que acometem a este ponto de afetar a saúde do indivíduo.


Círculo Vicioso

Maria, em sua juventude, sofre uma perda ou um fracasso. Então ela gera um Estilo Explicativo Pessimista para este acontecimento, que coisas ruins sempre irão acontecer com ela, que ela nunca vai ser boa o suficiente para realizar nada em sua vida e acaba se isolando. Isso gera em Maria o Desamparo Aprendido, pois agora ela não tem mais esperança nela mesma e nem na sua situação. Sendo assim, o sistema imunológico de Maria sofre um baque, torna-se mais lento e mais exposto à agentes transmissores de doenças e infecções. Logo, Maria estará colocando sua vida em risco.


Círculo Virtuoso

Guto, por outro lado, quando sofreu uma perda ou fracasso, buscou apoio em sua rede social e, com um Estilo Explicativo Otimista, entendeu que aquilo foi uma situação que poderia acontecer com qualquer um e passou por cima deste revez. Como não ficou desamparado e isolado, Guto permaneceu otimista e começou a desenvolver Novos Hábitos, mantendo assim o seu sistema imunológico em alta. Isso o manteve afastado e seguro contra doenças e infecções, pois suas células T e NK estão ativas e produzindo suas defesas necessárias.


Não estou dizendo neste texto que ser Otimista e ter um Estilo Explicativo Otimista irá te tornar invencível e imbatível. Mas com resultados cientificamente comprovados, em situações iguais, as pessoas que se mantém Otimistas têm suas chances de atravessar barreiras e vencer doenças aumentadas.

Esperança e Otimismo sustentam a vida, enquanto o Pessimismo e o Desamparo tem o poder de destruí-la.

De agora em diante vamos prestar mais atenção ainda a nosso Estilo Explicativo, pois ele não é só responsável pelo nosso sucesso na vida, mas também para nos manter saudáveis e ativos.

Se estivermos passando por uma perda e estivermos desamparado, não nos isolemos achando que somos super-heróis e conseguiremos fazer tudo sozinho. Solidão não é sinal de força, a ajuda é necessária para todos.


E se você estiver passando por alguma coisa parecida e quiser conversar, basta escrever para mim em Contato. Te ajudarei no que puder.