O ponto é nobre, mas a área é de risco

Tiroteio e assaltos apavoram moradores no trecho entre o Vogue Square e o Rio Design Barra

Na imagem do programa “Balanço geral”, da Record, o carro dos bandidos que bateu em frente ao Vogue Square: tiroteio e segurança de condomínio baleadoNa imagem do programa “Balanço geral”, da Record, o carro dos bandidos que bateu em frente ao Vogue Square: tiroteio e segurança de condomínio baleado
Na imagem do programa “Balanço geral”, da Record, o carro dos bandidos que bateu em frente ao Vogue Square

Avenida das Américas, trecho entre o Vogue Square e o Rio Design Barra, dois dos shoppings mais suntuosos da região. Cercado de condomínios de luxo, o local parece que está na mira dos assaltantes. “A gangue do Rolex costuma atacar das 10h às 11h e das 15h às 17h. Pelo menos foi o que me disse o policial com quem falei do no dia em que fui assaltado”, disse o empresário Marcello Magalhães, que teve o seu carro interceptado por dois bandidos em uma moto ao parar em frente a uma concessionária próximo ao local, por volta do meio-dia de sábado, 12 de janeiro.

 

Marcello, que estava no carro com a sua esposa e a filha, de 7 anos, não tem Rolex, mas usava um relógio parecido com o da famosa marca Suíça. “Assim que eu abri a porta, um bandido desceu da moto e colocou a pistola na minha cara. Levou o meu relógio e a minha aliança”, conta o empresário. “Minha esposa e filha choravam copiosamente após o assalto. Agora, a pequena pergunta toda hora se já prenderam os assaltantes. Olha o trauma que fica para uma criança”, completa ele. “Por essas e por outras, sou favorável à liberação do porte de armas, não ficaríamos tão desprotegidos”.

 

Nem mesmo os seguranças que ficam dentro dos condomínios próximos estão protegidos. Um deles foi baleado três dias antes, na quarta, dia 9. Numa perseguição, quatro bandidos que haviam assaltado uma filial da Lojas Americanas, no Recreio dos Bandeirantes, e fugiam de carro pela Avenida das Américas, colidiram com a viatura da polícia em frente ao shopping Vogue Square. Após tiroteio intenso, um ladrão foi atingido e acabou preso. O outro assaltante invadiu um condomínio, baleou o segurança e conseguiu fugir.

 

O funcionário do condomínio, que não teve a identidade revelada, foi levado ao hospital Lourenço Jorge e seu estado de saúde, no dia seguinte ao tiroteio, era considerado estável.

De um total de oito assaltantes que roubaram a Lojas Americanas, outros três bandidos também foram presos. Segundo a polícia, o grupo é da comunidade do Jacaré, que fica na Zona Norte da cidade.

 

O proprietário de um dos carros roubados durante a fuga lembrou os momentos de pânico. “Um bandido apontou o revólver para mim e achei que ele fosse atirar. Graças a Deus, não atirou. Saí do carro por um lado e minha esposa pelo outro correndo”.

O empresário Marcello Magalhães

Com os suspeitos, os agentes encontraram duas pistolas. Uma delas adaptada com um kit rajada. Alguns objetos roubados da loja de conveniência também foram recuperados.

 

“Você vai registrar queixa na delegacia

e parece que está pedindo um favor”

Na 16ª DP, onde foi registrar a ocorrência do roubo do seu relógio e aliança, Marcello Magalhães relata um completo descaso por parte dos agentes que o atenderam. “Você vai registrar queixa na delegacia e parece que está pedindo um favor. Sou e sempre serei a favor da polícia, mas isso é um desrespeito. A polícia é o reflexo da maioria de nossos governantes. Os serviços públicos são uma vergonha”, desabafou o empresário.

 

Segundo ele, uma agente que estava registrando outra ocorrência disse que assim que acabasse iria almoçar e outro funcionário que voltaria do almoço o atenderia.

"Mas, quando acabou de fazer o atendimento, ela entrou numa conversa por telefone que durou mais de 30 minutos. Nisso, já tinha se passado mais de uma hora e meia. Quando finalmente fui atendido, o policial sequer perguntou como foi a ação dos bandidos”, finalizou.