Star Wars: A Ascensão Skywalker | Crítica

Updated: Dec 23, 2019

Vamos lá. É uma baita responsabilidade terminar essa trilogia, que pra nós na verdadade, são 9 filmes ou 40 anos de Star Wars. E toda essa carga histórica com elementos da trilogia clássica sempre será um recurso para agradar os fãs, como uma Estrela da Morte afundanda em um mar vultuoso, um personagem como Lando ou até mesmo o velho planeta Endor. Mas o que faz um filme realmente ser digno da trilogia clássica?

É uma fórmula complicada, pois é necessário e importante ter soluções criativas, criaturas e culturas nunca vistas antes, juntamente com soluções visuais atraentes e muita novidade. Além de cenas marcantes de sabre de luz. Precisa ser memorável.

A Ascensão Skywalker peca em não ter muitos dos elementos citados acima. Ainda que apele para a nostalgia, os fãns estão sedentos por momentos memoráveis e isso acontece pouco.

Mas o pouco também é razoavelmente interesante, pois traz uma carga que foi construida em o Despertar da Força, mas que se perde em os Últimos Jedi. Fica complicado considerar o segundo filme. Agora faz muito mais sentido algumas cenas não explicadas em o Despertar da Força, no qual você poderá reasistir de uma forma mais interessante e plausível.

J.J dá algumas alfinetadas nas escolhas do diretor do filme anterior (Last Jedi). Isso está bem evidente, mas não vejo como um problema. O filme em alguns momentos parece mais um salto do Despertar da Força para a Ascenção Skywalker.

De fato existem 3 grandes momentos que tocam os corações dos fãs, mas é um toque com mãos machucadas e até cansadas. O filme recorre a soluções simplistas e pouco criativas nas cenas de ação. Chega a ser cansativo algumas cenas em que você sabe exatamente o que vai acontecer, sem ter surpresas. Em compensação é recheado de algumas reviravoltas que deixam o expectador zonzo de tanta informação. Logo no começo introduzir um personagem tão marcante de forma tão rápida chega a ser um insulto a inteligência.

Mas não pense que é ruim o filme, não é. Só não é muito digno da trilogia clássica e por isso acaba caindo um pouco no quesito de qualidade de um filme de Star Wars. Ainda que apele para a velha e boa fórmula de ter como amuleto os personagens da trilogia clássica, consagrada e memorável.